Home / Cinema / Como o Ryan Reynolds convenceu a Fox a colocar o Deadopool rated-R? Investindo menos dinheiro

Como o Ryan Reynolds convenceu a Fox a colocar o Deadopool rated-R? Investindo menos dinheiro

deadpool

Não sei se vocês tão ligados quanto tempo faz que Ryan Reynolds tá tentando tirar o filme do Deadopool do papel, mas é tempo pra caralho. Pra vocês terem uma ideia, quando ele começou a ir atrás disso, ainda não tinha saído X-men 3.

Bão, mas todo mundo sabe como essa história se desenrolou: Deadpool acabou em Wolverine: Origins, e o resultado foi…bem…Vocês sabem.

Agora, finalmente o filme do Deadpool vai sair e, depois da sacanagem de primeiro de abril que o Reynolds lançou, parece que vamos ter um personagem bem fiel aos quadrinhos (tanto no visual quanto nos seus aspectos básicos, como o humor baseado na tal da quebra da quarta parede).

Mas talvez vocês se perguntem: Como é que o Reynolds conseguiu convencer um estúdio conservador como a Fox a fazer um filme baseado num personagem da sua franquia mais lucrativa (ele pode não ser um X-men, mas é considerado um mutante, então…) para maiores de 18 anos (o que diminui significativamente a possibilidade de bilheteria alta, uma vez que uma parcela significativa do público de cinema americano é menor de 18)?

A resposta? Reynolds basicamente “trocou” um grande orçamento pela maior classificação etária. Ele conta o seguinte à Vulture:

Quando aquela filmagem teste vazou, mostrou a eles [o estúdio] quão grande era o interesse por esse filme e esse personagem, e eles nos deixaram fazer. E eles deixaram fazer, em grande medida, da forma que queríamos fazer. Parte disso é porque o orçamento é o equivalente ao que seria o custo da alimentação da equipe num filme normal dos X-men, mas é na verdade fantástico. Podemos deixar o personagem do jeito que queremos, mesmo que ele necessariamente não vá explodir estádios.

Então é isso, basicamente a Fox tá deixando o filme ser rated-r porque tem muito menos dinheiro envolvido. Claro que o fato de ser um personagem menos conhecido do público “civil” (certamente isso não seria aprovado com um Wolverine, que também mereceria um filme rated-r, o que seria possível de fazer bem feito mesmo com baixo orçamento) também contribui.

Isso é motivo de preocupação? Não pra mim, pelo menos. Eu acho isso ótimo, na verdade. Isso não só dá liberdade aos criadores fazerem um filme mais fiel à essência do personagem, como também permite um filme mais experimental e menos formulaico, como os filmes dos X-men*. Mas, apesar de eu não ser lá um grande fã do personagem, se o filme fizer relativo sucesso, em comparação com o orçamento, pode abrir novos e interessantes caminhos para os filmes do gênero, e quem sabe incentive os estúdios a investir em filmes menores com personagens que seriam uma aposta muito arriscada protagonizando um blockbuster de 200 milhões. Assim poderemos ter filmes que fogem da curva normal e, quem sabe, algumas coisas bem mais experimentais.

*Não que isso seja um problema per se: os filmes da Marvel Studios seguem sempre uma fórmula e nem por isso são, necessariamente, ruins.

Sobre Algures

Oi, meu nome é Algures e eu tenho 36 anos (teria se estivesse vivo). Compartilhe esse post com 20 pessoas e minha alma estará sendo salva por você e pelos outros 20 que receberão. Caso não repasse essa postagem, vou visitar-lhe hoje à noite. Dia 15 de Julho, José resolveu rir desse post, uma noite depois ele sumiu sem deixar vestígios. O mesmo aconteceu com Maria dia 18 de Outubro. Não quebre essa corrente, por favor, a não ser que queira sentir a minha presença (atrás de você).

Além disso, verifique

Podcast MdM #501 Expectativas nerds pra 2019, Leandro Hassum e o Sonic pelado

Salve nerdaiada maldita… no podcast de hoje os intrépidos MdMs Hell, Nerd Reverso, Leo Finocchi, …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Comentários