Home / A Gente Lemos / A gente lemos: Homem-Formiga – segunda chance

A gente lemos: Homem-Formiga – segunda chance

Como DCnauta desde pequeno, tem sido difícil ler gibis de super-heróis. Se por um lado a DC tem lançado altas coisas que são (na melhor das hipóteses) meia-bomba, a Casa das Ideias tem nos brindado com algumas publicações bem legais. Coisas como Os Novíssimos X-men, Gavião Arqueiro, Demolidor do Mark Waid, Miss Marvel

Mas o golpe de misericórdia veio na forma deste encadernado do Homem-Formiga. Não, um gibi do Homem-Formiga não pode ser bom. Sem chance. No way baby. É o Homem-Formiga, carái!

ant-man-1-cover-mark-brooks-109067

Só que o gibi é bom. É sem frescura e diverte. Droga! Se não fossem essas malditas crianças e seu cachorro!

Na trama, o Homem-Formiga mais pé de chinelo da história, Scott Lang, está na pior. Desempregado, na rua da amargura, a ex-mulher criando empecilhos para que ele conviva com a filha, Cassie Lang (que foi a heroína conhecida como Estatura. Aparentemente isso foi apagado inclusive da memória de todo mundo. A menina foi até rejuvenescida. Boiei nessa). Para virar o jogo, ele tenta se empregar com Tony Stark, o Homem de Ferro Superior. Mas como bom fracassado que é, isso também não dá certo e… ele se vê obrigado a mudar-se para Miami e começar vida nova, como dono e proprietário da “Homem-Formiga soluções em segurança”!.

ant21

Sabedor do herói de quinta categoria que tem em mãos, Nick Spencer não inventa rodeios ou relevância onde não há: a vida de Scott Lang (que não tira o traje de Homem-Formiga uma vez que seja) é um merda porque ele é um merda. O resultado disso só pode ser cômico, e o roteirista abraça essa verve sem medo de ser feliz. Um herói risível com problemas igualmente risíveis. Isso é o máximo! Não é exagero nenhum dizer que muitas vezes a toada evoca os bons tempos de Liga da Justiça Internacional de Keith Giffen e J. M. DeMatteis.

Inclusive, essa é uma forma de entender a boa fase da Marvel: a Casa das Ideias parece seguir mais ou menos o que a DC fez ali pela década de 1980, isto é, pegar personagens de segundo (ou ainda mais baixo) escalão e entregar para roteiristas talentosos ou pelo menos com algum potencial e deixá-los trabalhar livres. Enquanto a maior de todas fez isso com personagens como Homem-Animal, Patrulha do Destino, Orquídea Negra e outros, a Marvel vem fazendo isso com Homem-Formiga, Cavaleiro da Lua, Miss Marvel, Mulher-Hulk e Gavião Arqueiro (sim, se você presta atenção nos meus posts – duvido – eu já comentei algo parecido, referenciando um texto do Érico Assis). O que é uma decisão bem razoável: faz sentido ferrar-se à 40, 50 anos de publicação? Há onde avançar nesse cenário?

tumblr_nhtd6ehNVW1ru09bvo1_1280-1024x677

Enfim: se ao invés de serem engessadas pela cronologia as editoras e seus roteiristas usarem as histórias passadas dos personagens como mero backgroud, evocado ou não ao sabor da necessidade da história (como Spencer faz aqui) a coisa tem tudo pra dar muito certo. Isso quer dizer que teremos um gibi inesquecível? Não, Homem-Formiga – Segunda Chance passa longe disso! Pelo contrário, teremos gibis divertidos e só. Reconciliados com sua função de fantasia escapista e nada mais do que isso.

Afinal de contas, é o Homem-Formiga, porra. É só pisar nele!

tumblr_nwlvnbV4kY1syrv2ho1_r1_1280

 

Homem-Formiga – Segunda Chance, de Nick Spencer (roteiro), Ramon Rosas e Jordan Boyd na arte. 180 páginas, R$24,90. Panini Comics.

 

Nota: 7

 

 

Sobre Poderoso Porco

O mar não tem cabelos. Eu também não.

Além disso, verifique

Vai ter hq gaúcha na CCXP, sim (e se reclamar, vai ter duas)

Mais especificamente, hqs de artistas de Cachoeira do Sul, que vão ser lançadas na CCXP …

[fbcomments url="" width="675" count="off" num="3" countmsg="wonderful comments!"]