Home / Quadrinhos / [Textos que poderiam ser publicados no LinkedIn] O que O Sombra pode nos ensinar sobre o mundo corporativo?

[Textos que poderiam ser publicados no LinkedIn] O que O Sombra pode nos ensinar sobre o mundo corporativo?

Fim de julho de 1930. Ia ao ar, nos Estados Unidos, o “The Detective Story Magazine Hour”, programa de radionovela narrado por uma voz cavernosa de um tal “Sombra”, vivido por Walter B. Gibson (1897-1985).

Era o início de um empreendimento de sucesso nunca imaginado.

Novelas de rádio não eram novidade, nem mesmo as de crime e mistério, mas quase acidentalmente Gibson mudou todo o mindset da coisa ao inserir um narrador tão misterioso quanto as histórias que contava, lançando mão de uma frase de efeito que se tornou uma brand poderosa: a arrepiante “O Sombra sabe”.

O que poucos sabiam é que aquele misterioso narrador e seu bordão sombrio eram o kick-off de algo que viveria na cabeça de milhares de end users mundo afora por décadas e décadas.

 Do rádio, o Sombra cresceu e se expandiu para outros media, como a literatura pulp, as histórias em quadrinhos e, claro, o cinema.

Mas quem é o Sombra?

O Sombra é na verdade Lamont Cranston, um milionário que, após desenvolver incríveis skills no Oriente distante, decidiu enfrentar o crime nas ruas das grandes cidades norte-americanas, vestindo um chapéu, roupas e uma capa pretas, com a boca coberta por uma echarpe vermelha e sempre armado de suas pistolas Colt 45.

Porém, mais do que combater o crime (afinal, quem se interessa por isso de verdade hoje em dia?), podemos entender O Sombra como um case de sucesso para os empreendedores contemporâneos, independente de qual o seu core business! Então veja abaixo seis dicas que separamos para você seguir e mudar seu mindset com a ajuda do Sombra! Afinal, The Shadow Knows!

  • Dinamize o seu make mode: esqueça aquelas empresas tradicionais, altamente burocratizadas e cheias de funcionários entediados. Apesar de contar com um número grande (e importante!) de stakeholders, a operação do Sombra não roda com relações formais de emprego. Também esqueça a noção de um mero outsourcing: os operativos do Sombra, altamente empowered, compõem uma poderosa network para o combate ao crime. Nenhuma empresa teria condições de contar com um team de skills tão diferenciadas quanto a network do Sombra consegue fazer. O segredo é fidelizar colaboradores autônomos (independent stakeholders) alinhados com os valores da iniciativa. Claro que, para que isso funcione é preciso poder contar com um bom headhunter. Porém, mais uma vez o Sombra tem a solução: seja você mesmo o seu headhunter! Ninguém conhece melhor o core business e os valores do seu empreendimento do que você!
Uma network de stakeholders dedicados é fundamental!
  • Reduza custos: um ganho importante de substituir um quadro de funcionários contratados (ou mesmo PJs) por uma network de stakeholders é a redução drástica do budget necessário para a operação. Inclusive, uma rede de colaboradores bem estruturada e contínua permite mesmo que você reduza custos até duplamente em treinamento! Primeiro, cooptando stakeholders habilidosos e, quando receber novos integrantes, incentivando que os mais experiencied a mentorar os novatos!
  • Trabalhe com BI: O século ainda era o XX, a internet não existia, muito menos os smartphones e outros gadgets que temos hoje, mas O Sombra já sabia da importância da business intelligence (BI), ou você acha que o tal “O Sombra sabe” era gratuito? É impossível vencer sem ter boas informações sobre o seu target! Operacionalize toda a informação disponível. Na Era da Informação, knowledge is power!
  • Esqueça os sonhos old-fashioned: Não foi fazendo tudo como todo mundo que aquela pequena startup chamada “O Sombra” chegou dos anos 1930 até hoje. Imagina se algo assim teria surgido se o objetivo de Lamont Craston (e por que não falar do próprio Walter B. Gibson?) fosse ter estabilidade profissional? Ou se sua grande ambição fosse se tornar o CEO de alguma empresa qualquer? Ideias realmente disruptivas só surgem para quem se arrisca! Hoje em dia, com Batmen e Homens de Ferro pipocando a cada esquina, é fácil achar que essa ação era óbvia, mas temos de reconhecer que quem lançou a tendência foi mesmo o velho Lamont!
  • Não se prenda a aparências: essa dica tem a ver diretamente com a anterior. Nesse mundo de Bruce Wayne’s, Tony’s Stark bonitões e esnobes, com seus shapes sarados, queixos másculos e rostos sempre fora do capacete, é difícil achar que é possível ter self-love o suficiente para combater o crime com um pano vermelho cobrindo a boca e um nariz adunco, mas… um grande empreendedor é como a cebola, e tem várias camadas. A sua aparência é só isso: aparência. O style minimalista de um Steve Jobs diz tudo, e os ângulos agudos e arrojados de um Tesla Cybertruck têm muito mais a ver com um nariz adunco do que a comédia de um Cyrano!
Percebe, Ivair?
  • Não se satisfaça: O Sombra era um case de sucesso já no rádio. Mas foi com um trabalho sólido de branding em diversos markets que ele se tornou o unicórnio que é hoje. Literatura, quadrinhos, cinema. O animal satisfeito dorme, e o leão não seria o rei dos animais se estivesse satisfeito apenas com o título de rei da savana!    

Bem, workaholics nerds do Brasil, espero que estas seis dicas, vindas diretamente das histórias do portador do Girassol no dedo, possam ajudá-los mais do que os cursos do SEBRAE sobre empreendedorismo! Que você consiga o sucesso que merece, agora que sabe aquilo que O Sombra sabe: “treine, trabalhe e combata o crime enquanto eles dormem”!

(caso vc não tenha percebido. Vai que, né? Hoje em dia…)

Sobre Poderoso Porco

O mar não tem cabelos. Eu também não.

Além disso, verifique

Podcast MdM #559: Tentando lembrar das HQs BOAS dos anos 90! Eita porra!

No podcast de hoje os MdMs Hell, Caruso e Daniel HDR chamam a galera da …