Home / Games / Top 5,5 Franquias mortas da Capcom!

Top 5,5 Franquias mortas da Capcom!

careers_bg

Outro dia estava eu a discutir com o nobre bacharel e amigo estagiário Tango Commando e com o rei das necessaires, nececérs, necessary… ah foda-se, das bolsinhas Fábio Catena no Twitter (aquela ferramenta inútil™) sobre jogos de luta, mais especificamente sobre o grande jogo de Jojo’s Bizarre Adventure para PS1, quando o papo foi degringolando até chegar ao fato da Capcom estar sentada sobre as carcassas de várias franquias mortas que adoraríamos jogar novamente.

Pois bem, aproveitando que semana que vem já tem E3, resolvi preparar esta singela listinha de franquias que adoraria que a Capcom anunciasse, mas que obóviamente ela não irá, já que ela é uma empresa muito da sua feladaputa.

05 – Megaman

Acho que de todas as séries de jogos nessa lista, Megaman é a que me deixa mais perplecto a respeito do que passa na cabeça dos figurões da Capcom. Porra, é o Megaman! Ele é ferro, fogo, puro aço e o caralho de asa! Teve um desenho animado de relativo sucesso, HQ nacional, e é um dos grandes nomes reconhecíveis por praticamente todo mundo, até mesmo os mais leigos em relação a videogames, e ainda assim o último jogo com o Megaman foi o Smash Bros de WiiU/3DS. Antes disso? Um jogo para iOS para comemorar os 25 anos da franquia em 2012 e o Megaman gordinho de Street X Tekken.

Ainda mais em forma que alguns Mdms...
Mais em forma que a maioria dos nossos leitores.

Ain Maximus seu burro Megaman só em quinto? Tinha que ser em primeiro e mimimi e zás e ele é lindo e metálico e é puro aço e eu quero dar pra ele e…

Em primeiro lugar sossega o facho aí. Em segundo lugar, existe uma razão para Megaman estar em quinto, e ela se chama Mighty Number 9. Para quem não sabe, ele é uma espécie de sucessor espiritual de Megaman, produzido pelo Kenji Inafune, criador do próprio Megaman, que está com data de lançamento marcada para 15 de Setembro de 2015. Então como logo logo teremos algo que não é Megaman, mas é tipo Megaman, ele merece apenas a quinta posição.

EDIT: Só de sacanagem, enquanto eu finalizava esse post a Capcom anunciou um pacote de Megaman contendo os seis primeiros jogos da franquia para os consoles da nova geração, mas como eu tenho preguiça não é jogo novo, fica assim mesmo no post.

 

04 – Onimusha

Onimusha, para os novinhos que talvez não conheçam, é basicamente Resident Evil no Japão feudal, trocando armas por espadas, e sendo um dos primeiros expoentes do que eu gosto de chamar da nova geração de hack-n-slashs, vulgo jogos de porrada. Além disso, a série consegue a proeza de , tendo essa premissa de Japão Feudal, ter carros, crianças voadoras e Jean Reno.

A verdade é que a série ficou um pouco ofuscada por outros lançamentos similares nos anos 2000, como Devil May Cry e Ninja Gaiden. Contudo, ela tinha um ritmo todo próprio em seu sistema de combate que a distingue bem destes, o que faz dela mais uma franquia que a Capcom poderia ressuscitar mas para qual ela provavelmente irá cagar.

 

03 – Final Fight

Falando em porrada, como caralhos a Capcom ignora completamente esse bastião dos jogos bate-e-anda? A série nunca conseguiu fazer sucesso depois do segundo jogo, que tinha o grande ninja brasileiro Carlos (único nome de brasileiro que conheciam no Japão), tendo como último jogo o nojento Final Fight Streetwise, que mais parecia uma cópia de Fighting Force (que por si só já era uma cópia de Final Fight).

Faz tempo que o mundo está pronto para um novo jogo da franquia. E nem dá para dizer que não tem como fazer um jogo bom da franquia, é só lembrar do jogo de The Warriors (filme no qual o jogo é meio inspirado, falando nisso) para PS2, que é basicamente o que eu gostaria de um jogo novo de Final Fight.

 

02 – Power Stone

Esse é o momento da lista onde começo a ficar puto. Putamerda, Power Stone. O primeiro jogo era um conceito muito bom, e o segundo aperfeiçoou muito a fórmula, sendo um dos melhores jogos de Dreamcast, especialmente no multiplayer. Porra, ele era a principal escolha para reunir a galera para jogar multiplayer tomando batida de kisuco com vodca Skarloff (não me julguem, eu era liso na época).

reviewpowerstone2-3

A franquia, apesar de ter apenas dois jogos, é relativamente conhecida do público em geral devido ao desenho que passava na TV no Brasil. Isso que me faz não entender a falta de movimentação na franquia: esse é que este é o momento perfeito para lançar uma versão download-only do jogo por uns 10-15 dólares, com integração online e tal. Porra, se ao menos relançassem o 2 para os videogames mais recentes eu já ficaria felizão.

 

01 – Rival Schools

“Hein? Que porra é essa em primeiro que nunca ouvi falar?”, se perguntam os mais novos (e os mais burros). Rival Schools é, basicamente, mais uma franquia de jogos de luta da Capcom, sendo basicamente a primeira versão adaptada da engine dos jogos da série versus (Xmen, Marvel vs Capcom e afins) para o universo 3D. Engine, nesse contexto significa as mecânicas de luta, que vão desde o esquema salto e supersalto até combos encadeadas com um launcher para continuar a combo aérea. Porra, a quem eu quero enganar? Se você não sabe o que é engine com certeza também não sabe o que é um launcher.

9477234930_88614d3573

Na minha cronologia pessoal, Rival Schools se passa em um conjunto de escolas de segundo grau no universo de Street Fighter, ou seja, todo mundo solta magia como se fosse a coisa mais comum. O que me faz desejar a volta de RS é que, além dele ser provavelmente meu jogo de luta favorito, ele possui duas características importantes: Um sistema de luta realmente muito bem amarrado, ao contrário do estilo pau de dar em doido de outros jogos da série Versus (Marvel vs Capcom 2 parece mais um MUGEN que um jogo sério) e personagens interessantes e distintos um dos outros.

Até mesmo o cara que nada Crawl pelo ar é um personagem legal.

Porém, como a série é meio que cult, duvido completamente que um dia veremos outro jogo da franquia.

0,5 – Breath of Fire

Antes de você correr para os comentários para me xingar ao menos leia a razão de Breath of Fire estar nesta colocação.

Breath of Fire. O primeiro jogo da série foi o primeiro RPG que joguei na minha vida, e o 4 é uma obra prima (cinco? que cinco?). Essa sim é uma série que foi criminosamente deixada de lado, apesar de seu grande potencial (seu personagem vira a porra de um DRAGÃO). Aí você me pergunta “Se gosta tanto, porque posição 0,5?”. Porque este ano irá sair Breath of Fire 6!

giphy (2)

 

Por que será que ninguém está comentando sobre isso? Ah, deve ser porque o jogo é um RPG Online para celulares.

giphy (1)

Gostou de relembrar o passado? Lá no meu ex-finado podcast sobre games, o Em Outro Castelo, fizemos um episódio inteiro sobre franquias que queremos que voltem. E não percam meu próximo post com as franquias da Konami, onde vou chorar lágrimas de ninja silencioso pelo futuro de Metal Gear, Silent Hills e afins. (mentira, nem vou fazer esse post).

Sobre Maximus

Um carinha do barulho que vai arrumar altas confusões nesse site que é um estouro.

Além disso, verifique

Top 7,5 Melhores Jogos de 2018

Mas como, um post no MdM? Sim, seus passas no arroz. Há uma tradição minha …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.