Home / Livros / Rodada de dicas para o dia das bruxas 1: Livros

Rodada de dicas para o dia das bruxas 1: Livros

Está chegando aquela data importada dos americanos (como diversas outras) e que tem definitivamente mais potencial do que o natal: o halloween (ou Dia das Bruxas se você é um ufanista).

E, como já é tradição (eu acho), vou dar minhas indicações de terror para quem não está a fim de aproveitar a data num bar ou numa boate (que é o caso da maioria de vocês, não mintam). Mas, dessa vez, resolvi fazer não um, não dois, mas TRÊS posts de indicações! Serão 5 de cada: livros, filmes e hqs.

E não, este não vai ser mais um dos meus posts em várias partes que eu nunca termino! São 3 posts, e saem todos essa semana. Começo com aquelas coisas que você usa de enfeite na sua prateleira pra fingir que é inteligente mas na verdade nunca usa: livros (que não tem desenho). Todas as obras indicadas podem ser encontradas nas livrarias por aí pois possuem edição ou reedição recente.

5 – A TORRE NEGRA I: O PISTOLEIRO
Bom para quem curte: fantasia, Stephen King, universos paralelos, narrativas seriadas
Sim, eu sei que parece sacanagem indicar um livro de uma série, mas se você ainda não leu a Torre Negra, de Stephen King, o melhor lugar para começar é pelo começo.
Não só pelo motivo óbvio de O Pistoleiro ser o primeiro livro da série, mas também porque é o mais curto de todos e o que tem um arco relativamente fechado. Se você ainda não deu uma chance para esta série, comece com o Pistoleiro que, caso não seja a sua praia, pelo menos ele tem apenas 220 páginas, e não 870, como o último livro.
Para quem não conhece, a história acompanha Roland Deschain, um pistoleiro em um mundo paralelo que “seguiu em frente” na busca pelo homem de preto, que ele acredita ter informações obre a Torre Negra, objeto da obsessiva busca do pistoleiro.

 

4 – MELODIA DO MAL
Bom para quem curte: terror psicológico, leitura densa, temas da vida real, narrativa longa
Para a maioria, John Ajvide Lindqvist é um nome desconhecido, mas que deveria estar no radar de todo amante do gênero. Mais lembrado pelo romance “Deixe Ela Entrar” (que ganhou duas adaptações cinematográficas), este autor sueco tem mais umas duas ou três obras publicadas aqui no Brasil, entre elas, Melodia do Mal.
Na história, uma criança é encontrada quase morta numa floresta e salva por um músico frustrado, que a leva para casa. A menina é muito estranha, e não interage com praticamente nada nem ninguém. É como se estivesse morta. A não ser quando algo relacionado à música entra em cena. Ah, e ela também canta como ninguém – apesar de não saber falar.
Apesar de Melodia do Mal ser diferente de Deixe Ela Entrar no sentido de que não trata lida com o sobrenatural, a história conta com uma tensão psicológica que em alguns momentos lembra a obra mais famosa do autor. É definitivamente uma leitura recomendada, se você curte livros longos (este tem cerca de 500 páginas)

 

3 – CONTOS CLÁSSICOS DE VAMPIRO
Bom para quem curte: vampiros, contexto histórico, horror clássico, leitura rápida
Para as gerações mais novas e com pouca inclinação para uma rápida pesquisa na internet, pode ser uma surpresa o fato de que a lenda dos vampiros não surgiu com a obra de Bram Stocker. Na verdade, o mito remonta às primeiras civilizações e se espalha pelas mais diversas culturas, com as mais diversas variações. A editora Hedra (que tem feito um bom trabalho publicando muita coisa do Lovecraft no Brasil) lançou uma coletânea com os primeiros e mais historicamente relevantes textos de ficção que tem o vampiro como personagem. Entre as histórias, A Noiva do Coríntio, de Goethe, Trecho de um Romance, de Byron, O Vampiro, de John Polidori e O hóspede de Drácula, de Bram Stocker (que, segundo consta, era para ser o prólogo do romance do autor, mas acabou ficando de fora da edição original). Recomendadíssimo para quem curte e não é longo, cerca de 260 páginas.

 

2 – PERFUME – A HISTÓRIA DE UM ASSASSINO
Bom para quem curte: terror psicológico, narrativa histórica, leitura rápida
É impressionante como Jean-Baptiste Grenouille, o protagonista desse romance alemão, não figura entre os monstros clássicos da literatura de horror. Apesar de não ser um monstro no sentido sobrenatural do termo, o personagem certamente tem características únicas.
Na história, que se passa na França do século XVIII, uma criança é abandonada em meio às tripas de peixe em uma banca de feira, e acaba descobrindo que possui duas características curiosas: não possui odor próprio e tem um olfato superdesenvolvido, quase sobrenatural. Numa época onde o cheiro tinha uma importância que rivalizava (senão superava) a visão, estas características são quase como um superpoder, que o permitem passar despercebido por todo mundo e recriar qualquer perfume, apenas reconhecendo seus ingredientes pelo cheiro.
O Perfume foi escrito por Patrick Suskind e é uma das histórias mais criativas que eu já li. É possível que você já conheça esta obra, mas se ainda não leu, vale a pena da uma chance a esse clássico.

 

1 – DEIXE ELA ENTRAR
Bom para quem curte: vampiros, leitura densa, livro diferentão, narrativa longa, horror clássico, terror psicológico
A adaptação sueca da obra mais conhecida de John Ajvide Lindqvist é um dos meus filmes favoritos, e o livro não fica nem um pouco atrás. Menos misteriosa e mais didática que o filme, a obra mantém uma atmosfera tensa e lida com temas bastante reais em meio ao horror fantástico.
Na história, Oskar é um menino introvertido que sofre com bullying na escola. Mas sua vida muda ao conhecer Eli, uma jovem que acaba de se mudar para a sua vizinhança. Mas ela tem um segredo – e a vida de Oskar jamais será a mesma, em vários sentidos.
Deixe Ela Entrar está em primeiro aqui na lista porque tem uma narrativa diferente, e consegue trabalhar o já batido tema do vampiro sem apelar para clichês, ao mesmo tempo que mantém algumas das características clássicas que mantém esse mito vivo até hoje.

 

0,5 – DANÇA MACABRA
Bom para quem curte: teoria, Stephen King, livros sobre terror
Este aqui está na posição extra porque não é, na verdade, um livro de ficção, e sim um ensaio sobre terror. Neste livro, Stephen King caga uma regra sobre o gênero na literatura e no cinema, falando sobre alguns dos clássicos e dando sua contribuição sobre o que faz uma história de terror ser, bem, de terror. Recomendado para quem quer aprender mais sobre o gênero.

Era isso para hoje, galera. Coloquem suas indicações de livros de terror no comenta–NAUM, PERA

Na próxima: filmes!

Sobre Algures

Oi, meu nome é Algures e eu tenho 35 anos (teria se estivesse vivo). Compartilhe esse post com 20 pessoas e minha alma estará sendo salva por você e pelos outros 20 que receberão. Caso não repasse essa postagem, vou visitar-lhe hoje à noite. Dia 15 de Julho, José resolveu rir desse post, uma noite depois ele sumiu sem deixar vestígios. O mesmo aconteceu com Maria dia 18 de Outubro. Não quebre essa corrente, por favor, a não ser que queira sentir a minha presença (atrás de você).

Além disso, verifique

6,5 filmes do George Romero que não são sobre Zumbis

Ontem, dia 16 de julho, morreu George A. Romero, um dos grandes cineastas de horror …

[fbcomments url="" width="675" count="off" num="3" countmsg="wonderful comments!"]