Home / Brinquedos, Jogos e RPG / Como foi o primeiro dia da Comic Con Experience?

Como foi o primeiro dia da Comic Con Experience?

Cumprindo minha cota de posts do trimestre, vim aqui falar no calor do momento sobre a CCXP após um primeiro dia cheio de expectativas sobre um evento que ninguém sabia muito bem como seria.

Longe de fazer uma análise completa do evento, queria só destacar algumas impressões sobre esse primeiro dia.

ccxp-2014

 

Como disse o Ivan Costa na apresentação do evento, a Experiência no nome do evento é uma experiência de encantamento. Tudo foi pensado para impressionar o público de forma que ele nunca tivesse visto (pelo menos não no Brasil).

Tendo essa meta da organização em mente, fica fácil entender a escala do evento. Grandes auditórios, grandes estandes, réplicas em tamanho natural de vários personagens e de itens de fácil reconhecimento da cultura pop. E nenhuma menção a Big Bang Theory, antes que vocês perguntem!

Com essa escala para um evento inédito, a organização e a logística geral são sempre uma preocupação. A expectativa de público, atrações, descontos (por parte dos visitantes) e vendas (por parte dos expositores) também é grande. Então listo abaixo os principais pontos positivos e negativos observados nesse primeiro dia.

Pontos positivos:

  •  O espaço é grande! Mas bem utilizado; não há grandes vazios sem motivo.
  • A ventilação tava caprichada! Alguns até reclamaram de frio em momentos mais vazios, mas o ar condicionado precisa estar no talo num centro de convenções cheio em dezembro, ou o evento não vai cheirar bem!
  • Corredores largos, com grande espaço pra circulação, mesmo de famílias e cosplayers, pelo menos nesse 1º dia.
  • Banheiros espalhados por todo o evento, com água (em São Paulo!) e possivelmente manutenção rotineira (o banheiro não estava nojento no fim do dia).
  • Bom público já no primeiro dia! Alguns paineis no auditório principal (pra 2.000 pessoas, é bom lembrar) ficaram lotados!
  • Bons descontos nas principais lojas de quadrinhos (Comix e Panini), games pra jogar de graça em vários estandes.
  • Se havia o medo de que as HQs fossem ofuscadas pelas outras atrações, pelo menos no 1º dia isso não aconteceu. Boas vendas nas lojas da Panini e Comix (sempre cheias) e para os quadrinistas no Artists’ Alley (Ala dos Artistas, no inglês nórdico). Teve quadrinista que conseguiu pagar os 4 dias de mesa no evento com as vendas desse 1º dia.
  • Muito legal poder ver na Ala dos Artistas nomes internacionais ombro a ombro com a galera dos quadrinhos independentes. Se você arranhar um inglês, pode bater
  • Interatividade nos estandes, desde “dance em troca de um gibi” até “tire foto no sofá dos Simpsons abraçado com o Homer”. Mesmo nos estandes de colecionáveis, onde mexer no mostruário seria um problema, tinha sempre algum item legal com o qual o público poderia tirar fotos.
  • Praça de alimentação isolada das demais atrações, evitando a sujeirada pelo evento. Algumas opções compactas, como carrinhos vendendo água e picolés estavam perto dos estandes, pra quem quisesse só matar a sede rapidinho sem sair de perto das atrações.

Pontos negativos:

  • O espaço é grande! Use tênis confortáveis ou vai ficar com os pés doendo.
  • O evento procurou pensar no conforto dos visitantes em caso de chuva, com área coberta até na fila, mas deixou alguns participantes molhados por conta de uma confusão em relação ao local de entrada de expositores. Como muitos chegaram debaixo de chuva nesse 1º dia, faltou jogo de cintura da organização de tirar os quadrinistas (e seus gibis) da chuva enquanto resolviam a situação, afinal gibi molhado é gibi perdido. Pelos relatos de alguns quadrinistas, até um convidado internacional como o Dave Johnson um tempo esperando na chuva.
  • No auditório, o espaço reservado para portadores da credencial “Fan Experience” não estava claramente sinalizado, o que gerou certa confusão e desconforto para visitantes que sentavam nos lugares reservados e depois eram removidos pela organização.

Ainda há muita água pra rolar nesse evento, com mais 3 dias pela frente, mas já fica aparente que a organização da CCXP está fazendo um puta trabalho, oferecendo um evento de alta qualidade para o público, apesar de algumas derrapadas que acabam ocorrendo na primeira edição de uma iniciativa desse tamanho.

Semana que vem, volto a falar do evento, fazendo um balanço geral após o término. Ou não, já que aí seriam 2 posts no trimestre, e prefiro evitar a fadiga.

Enquanto isso, acompanhem a nossa cobertura ao vivo (maaaaais ou menos…) no Facebook e no Twitter (aquela ferramenta inútil).

Sobre Nerd Reverso

O que esse cara ainda tá fazendo aí? VAI EMBORA DO AMÉRICA!!!

Além disso, verifique

Podcast MdM #559: Tentando lembrar das HQs BOAS dos anos 90! Eita porra!

No podcast de hoje os MdMs Hell, Caruso e Daniel HDR chamam a galera da …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.