Home / Cinema / Peyton Reed mexendo num VESPEIRO!

Peyton Reed mexendo num VESPEIRO!

Sem dúvida Homem-Formiga foi uma grande surpresa no último ano.

Seja para os próprios marvetes que viram um personagem menos popular da editora vingar na tela grande, seja para os executivos do Marvel Studios que arrecadaram uma bilheteria relativamente expressiva, fato é que o filme de Peyton Reed teve sucesso suficiente para emplacar uma continuação – Ant-Man and the Wasp, previsto para 2018.

ant-man-evangeline-lilly-the-wasp-suit

E enquanto comentava sobre aspectos gerais do filme, Reed aproveitou para falar um pouco sobre o papel da Vespa no primeiro longa e da importância dos personagens femininos na dinâmica que existe entre os personagens do filme e nos filmes de quadrinhos como um todo.

Uma das coisas mais importantes para mim quando assumi o projeto foi a ideia de enfatizar mais a Vespa, tanto a Hope Van Dyne quanto a Janet (…) É meio obóvio que existe uma necessidade por heroínas. É uma forma de ter novas histórias para contar e mantê-las interessantes.

E eu sempre gostei disso no Homem-Formiga e na Vespa de lidar ao mesmo tempo com políticas de gênero e coisas de super-herói. Nos quadrinhos, particularmente nos anos 60, a Vespa era claramente escrita apenas por homens e por isso era bastante unidimensional, coisa que melhorou muito desde então.

E o diretor ainda comentou que será essa dinâmica que orientará o próximo filme

Isso é uma das coisas que será realmente interessante e trará novidade nesse filme. Dá pra sentir um certo senso de responsabilidade. E no final das contas acaba sendo algo orgânico para o personagem e o filme.

Vamos aguardar.

Se por um lado toda notícia sobre igualdade de gênero no cinema é sempre uma boa notícia, por outro isso ainda soa (infelizmente) um tanto utópico. Basta lembra que a Viúva Negra está ai há, o que, quatro filmes, sei lá, e até agora não passou de merda coadjuvante de luxo/amansadora de Hulks nos filmes do estúdio.

Por outro lado, se mantiverem a continuação no mesmo espírito do primeiro filme – mais afastada do universo cinematográfico, mais minimalista (sem trocadilho) – talvez haja realmente espaço para desenvolver melhor a personagem, o que seria ótimo, afinal o casal rendeu cenas marcantes ao longo de sua historiografia.

Além de cenas de S-É-Q-U-I-S-S-O

Resta saber agora se o diretor vai CONSEGUIR fazer isso né? O último diretor que ficou inventando muita moda com o formigão e a MarvelEdgar Wright, rodou mais rápido que a mãe dos leitores no Baile dos Enxutos. É esperar pra ver.

Sobre Tango Commando

Carlos Gardel com colônia de Napalm

Além disso, verifique

Liga da Justiça: o que deu errado?

Antes de mais nada, o que este texto NÃO É: Uma resenha de Liga da …

[fbcomments url="" width="675" count="off" num="3" countmsg="wonderful comments!"]