Home / Outros / O Fim dos animes na TV brasileira?

O Fim dos animes na TV brasileira?


Parece que anime entrará em extinção no Brasil. Pode sentar, meu caro, que hoje meu papo é sério!

É sério, meu amigo! Cada dia que passa se encontra menos anime, os famosos desenhos japoneses, na TV. Vamos por partes, começando pelos canais abertos:
A Rede Bandeirantes desde o início desse mês transmite todo domingo às 11:30 da manhã um picotado Yu Yu Hakusho, e nesse último começou a passar Cavaleiros do Zodíaco logo depois, mas é óbvio que isso é um mero tapa-buraco e que logo-logo sairá do ar sem muitas explicações.
Na Rede TV! que tinha um bloco só para animes, o TV Kids, está cada dia que passa se definhando mais por causa da audiência. Primeiro mudou do horário de tarde, 18h, para o noturno, 19h, mas sempre com dois animes diferentes. E agora, desde segunda-feira, migrou para 13h com apenas Fullmetal Alchemist, e ainda retirou do ar Supercampeões que era transmitido no programa matinal TV Clubinho.

E só! Você não acha mais nada nos canais abertos! Agora vamos para as redes por assinatura:
Jetix nem sequer passa mais aquelas imitações de Pokémon, e a Nickelodeon só continua mesmo com Yu-Gi-Oh!.
Agora vamos ao filé mignon do post, o Cartoon Network , que parece não saber o que quer. Faz mais de um ano que o canal mudou o seu bloco de animes, o Toonami, para a madrugada. Se a idéia já era idiota, agora ele simplesmente não existe mais. Dragon Ball Z ainda tem dois episódios seguidos, à meia-noite, porém Cavaleiros do Zodíaco e Yu Yu Hakusho foram substituídos desde segunda-feira sem nenhum motivo aparente pelo sem-graça Ben 10 e pelo “meu Deus! O que um desenho para crianças de 8 anos está fazendo a essa hora?” Robô Boy.

Animes ainda são transmitidos? Sim, mas em horários em que não são apropriados para eles. Naruto, que foi fortemente editado, passa às 22h30, Zatch Bell, anime que segue a linha de Pokémon, às 23h, e Supercampeões às 23h30. Isto é, três animes infantis passam quase de madrugada.
E Ranma ½, Inu-Yasha, e Cavaleiros do Zodíaco, três animes que foram para faca mais vezes que a Ângela Bismarchi em véspera de Carnaval para se adequar aos padrões ocidentais, são transmitidos da 1h30 até às 3h.
Em “compensação”, Pokémon continua com uma tremenda força perante os manda-chuvas do canal, já que ele possui três horários diferentes!!! 15h, 22h, e 3h, esse último com direito a dois episódios seguidos.

Além disso, o Cartoon Network não traz mais nenhuma novidade para os otakus, e mais do que isso, ainda caga e anda para o que tem. Gungrave que era prometido para abril, foi adiado de novo, sem data para estrear, e a transmissão da Saga de Hades de Cavaleiros do Zodíaco foi no mínimo… desorganizada e anti-profissional! Cenas cortadas (tanto as cenas extras, quanto cenas normais e importantes, como a cena final do Seiya caindo no buraco do Inferno), e em um dos episódios a finalização está em japonês em vez de português. Uma transmissão completamente nas coxas.
E enquanto os animes são cada vez mais raros na televisão, andam aparecendo muito no mercado de DVD… e de forma digna. E não são só “sensações do passado” como Cavaleiros do Zodíaco, Supercampeões, e Yu Yu Hakusho que ganharam vez não, animes recentes também como Hunter X Hunter, Fullmetal Alchemist, e Viewtiful Joe.

Então será esse o futuro dos otakus? Ter que comprar o DVD de um anime para poder assistí-lo (pelo menos legalmente)? Será que as crianças de hoje não têm aquela sede de sangue que a minha e a sua época teve, por isso não se interessam por animes? Será que Naruto ou Bleach conseguirão trazer de volta aquele amor por esses desenhos em partícular?
Bem, eu não posso responder essas perguntas, mas passo a bola para vocês, leitores, opinarem e debaterem!

Sobre Bugman

Grant Morrison nos salvará.

Além disso, verifique

Por que o universo DC nos cinemas falhou

Eu sei que todo mundo só quer falar de eleições, mas aproveitando o sai-não-sai do …

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.