Home / Eventos / A gente fomos: Brasil Comic Con

A gente fomos: Brasil Comic Con

Fala nerdaiada querida! Esse final de semana teve a Brasil Comic Con, e fomos lá dar uma conferida no sábado… Foi bom? Causou impacto? Será um marco dos eventos nerds/pop no Brasil?

BrasilComicCon2014

Como a maioria sabe, a Brasil Comic Con foi um evento realizado pela Yamato, mesma produtora dos já conhecidos Anime Friends e Ressaca Friend, evento esses já digeridosentre o grande público nerd e otaku. A BCC já acontecida dentro do Anime Friends a alguns anos, mas com um espaço modesto e tímido, sem muitas novidades… Esse ano inovaram e transformaram em um evento gigante, nos mesmo moldes dos já citados, com grandes atrações e lançamentos.

Mas um evento desse que “emula” algo recorrente na gringa, precisa de mais de uma edição para uma melhor avaliação…

PReciso ver com os chégas do Who Cares se esse é um dos doutores...
Preciso ver com os chégas do Who Cares se esse é um dos doutores…

A estrutura era enorme, tinha muita gente, mas aparentemente era muito espaço para pouca coisa… O primeiro andar contava com os stands das editoras, algumas lojas de nerdices e camisetas, alguns sebos e editoras… Além do palco principal e alguns itens nerds, tipo Batmóvel e o Mach 5… Resultando em muito espaço desperdiçado e mau aproveitado…

O segundo andar contava com o Beco dos Artistas , onde estavam a maioria dos chégas (Mike Deodato, Luke Ross, Ed Benes, Fabio Laguna, Will Conrad, Frank Martin… Tinha até o Daniel Esteves perdido), uma auditório onde teve mais algumas palestras/painéis,  outro palco que não entendi o que acontecia e um ringue de telecatch baixa renda (ta aí um coisa que não se vê sempre).  Espaço dos artistas bem dividido, com as mesas enfileiradas montando corredores de fácil acesso.

E na parte externa, para alegria da nerdaiada barriguda, uma praça/parque de food trucks (momento hipster gourmet 2014). Tinha comida de tudo quanto é tipo por preços razoáveis. Ponto pra Yamato, porque viver de pastel, muppy e cachorro quente nos Anime Friends tava difícil…

Esse era o mapa do evento que ajudaria se estivesse em algum lugar dos pavilhões...
Esse era o mapa do evento que ajudaria se estivesse em algum lugar dos pavilhões…

Mas, nem tudo foi tão bom quanto parece… A confusão e as desinformações eram muitas, ninguém no evento sabia de nada… Se você quisesse ou procurasse algo, tinha que buscar no site oficial, que é pesado pacas no celular/tablet, num lugar que o sinal 3G era horrível… E claro que o wifi grátis não aguentou o monte de gente querendo postar as cosplayers no instagram…

Fora os convidados que desmarcaram na “última hora”, o que causou uma revolta nas mídias sociais e em conversas informais (gente que comprou os “meet and greet” e achou mais vantagem ir de qualquer jeito do que pedir reembolso…)

E eu sei que na gringa, é normal os autores cobrarem por tudo. Mas não terem avisado isso antes, achei sacanagem. O Michael Golden cobrava por foto, por autografo, por revista numerada… Um direito dele, claro, mas aki nos Brasilis da Dilma, não estamos acostumados a isso, e muita gente bufou ao saber que tirar uma foto ou autografar algo pessoa custava dez dilas reeleitas (sou rico e paguei hahahahah) Essa desinformação fez a mesa de um cara icônico ficar as moscas (e a mesa era gigante).

michael-golden
Dez Dilmas reeleitas para autografar um formatinho da Abril, 40 para tira foto

Eu e alguns chégas fizemos dois painéis lá… O primeiro começava as 11 e abriram para o públicos as… 11! Porra chuchu, você vai falar num evento pra ninguém é sacanagem, fiquei imaginando tu ir num jogo e quando o juiz apita, o público entra no estádio e pega o jogo começado… claro que deu reclamação, já que muita gente queria ver e quando conseguiu entrar, já tinha acabado… E isso aconteceu em outros painéis que começaram em horários atrasados ou locais remarcados…

Eu tava virado na preda, não ouvia muita coisa...
Eu tava virado na preda, não ouvia muita coisa…

E o segundo painél foi pior, porque o auditório ficava entre o ringue de telecatch e o palco de sei-lá-o-que… Você falava uma frase, e todo mundo ouvia “o Gladiador Demônio subiu nas cordas”… Foi surreal, mas foi engraçado hahahahahha

E nem uma águinha para os convidados? Tá certo que Sampa tá na seca, mas falar uma hora e ter que andar 10 mins pra comprar um bebida é muita falta de sacanagem… Ou andar dez minutos para achar UM banheiro (sério, só vi um banheiro masculino e um feminino no evento INTEIRO)…

Saldo final: foi a primeira Comic Con e teve muitos erros… Mas no geral foi um evento divertido e que tenho certeza que será bem melhor no ano que vem, já que a Yamato é calejada em eventos nerds de grande porte. E acredito que a galera se divertiu, já que os dois dias estavam muito cheios. Fica a nota(?) 7.46 pelo geral (mas ainda estou puto pela água hahahaha)

Segue mais umas fotinhas que roubei por aí, minha camera ferrou antes de ligar…

E o ápice do evento: Yudi cantando com o ator do Jiraya mais cosplay de Jiraya a música “Virado no Jiraya”

10395197_838272479542198_5620231294081233068_n

 

Isso foi épico XD

 

Sobre Catena

Você não sabe como é difícil viver em uma caixa de papelão, Superman...

Além disso, verifique

Podcast MdM #515: PERIFACON!

As MDManas Ira Croft (@iracroft), Adriana Melo (@adriana_melo) e Dea (@deamelo) bateram um papo reto …

1.109 comentários

  1. Diney ó pedreiro mineiro