Home / Coisa japa / A última treta do Anno

A última treta do Anno

Entenderam? Porque, tipo, Anno, presta atenção. Anno pode remeter a, você sabe, ano. Tipo 2019. Esse ano, sobre tempo. Mas também pode ser sobre o Hideaki Anno. Que é um cara envolvido no que vamos falar. Aí são parecidos, entendeu, Anno e… ano.

Ai, ai.

Mas, enfim. Sabem o Hideaki Anno, o criador de Evangelion e responsável pelo estúdio Khara, que atualmente está trabalhando na série Rebuild of Evangelion? Então, antes do estúdio Khara, ele trabalhou na Gainax, um outro estúdio muito maior, que produziu algumas coisas pequenininhas como, sei lá, Gurren Lagann e FLCL.

Acontece que o presidente dos estúdios de animação da Gainax foi preso por molestar uma menor de idade e tirar fotos íntimas dela! Pois é!

E, no meio das notícias sobre esse caso, muitos jornalistas acabaram citando também Evangelion, devido ao histórico da Gainax com a série. Isso acabou emputecendo o Anno, já que ninguém que está hoje na Gainax participou da produção da série, e decidiu fazer uma entrevista comprometedora com, até onde eu sei, o site Diamond Online.

Cabe aqui uma informação: essa porra de notícia ainda não saiu em nenhum site grande para eu poder roubar a tradução. Parte porque é a porra do fim do ano, parte porque ela saiu de madrugada, então estou catando e analisando informações do Twitter e do Reddit, já que não sei japonês e o site da Diamond Online está assim:

Então vamos com calma e senta que lá vem história, porque essa entrevista essencialmente joga luz sobre uma série de atividades ilícitas que a Gainax realizou durante os anos. Como ninguém tem tempo para ir até o fim do post entender exatamente o que aconteceu, toma-lhe um spoiler:

A GAINAX PELO VISTO SE METEU NUMA LAVAGEM DE DINHEIRO MANEIRA.

Agora, podemos ser mais detalhistas:

A Gainax foi criada em 1984 como um estúdio pequeno e meio toca y mi voy. Ela se importava muito com a qualidade de seus produtos, mas era um caos administrativo. Você sabe, que nem a Máquina Tricolor nos anos 70. E foram andando na corda bamba até 1995, com o lançamento de Neon Genesis Evangelion.

Evangelion fez muita grana. Tipo, uma quantidade obscena e radioativa de grana. De acordo com a Wikipedia, em 2014 a franquia tinha gerado quase um bilhão e meio de dólares. Em perspectiva, isso dá pra comprar trezentas milhões de Jornadas.

Sim, é dessa maneira que contabilizo dinheiro.

Mas se lembra que eu disse que ninguém na Gainax sabia administrar uma empresa? Então, as coisas não mudaram depois dessa piscina olímpica de dinheiro entrar, por algum motivo. Eles começaram a investir em uns projetos que não davam retorno nenhum, mas ninguém se importava, afinal Evangelion era um fonte infinita de dinheiro. Infinita.

Pausa para uma imagem não-relacionada:

Image result for evangelion razors

Aí o então presidente da Gainax foi preso por fraude fiscal. Pois é.

Importante dizer que as rendas de Evangelion agora vinham primariamente de vendas de produtos, e esse dinheiro não chegava nos animadores e afins. O lucro do anime Evangelion, por si só, foi bem distribuído por causa do estúdio King’s Records, que ajudou a financiar o projeto. Só que os novos projetos da Gainax não faziam mais dinheiro para dividir para o pessoal dos animes, então toda essa grana estava extremamente centralizada. E isso, pelo visto, incomodava o Anno.

Entra Yamaga, o novo CEO da Gainax.

Yamaga era um amigo de infância de Anno, e prometeu que as coisas seriam resolvidas. Acontece que Anno teve acesso aos livros fiscais da Gainax, e sentiu o cheiro, cor e gosto da merda. Discrepância absurda de salários, um modus operandi de “enquanto o dinheiro de Eva vem, tá tudo certo”, essas coisas. Seu projeto do remake de Evangelion, hoje conhecido como a série de filmes Rebuild of Evangelion, não poderia ser feito na Gainax, considerou ele. Em 2007, mais ou menos na época que Gurren Lagann estava sendo produzido, Anno saiu da Gainax para fundar seu novo estúdio, a Khara, com autorização de continuar trabalhando em Evangelion.

Até aí, tudo bem então, né? Embora os direitos de comercialização e produtos de Evangelion ainda estejam na Gainax, havia o compromisso de pagar uma parte dos royalties para o Anno, e consequentemente, o estúdio Khara (importante lembrar aqui, eram os direitos APENAS de Eva, e não Gunbuster ou Nadia, obras que Anno havia trabalhado). E as coisas foram indo, até que chegou 2012.

Image result for 2012

O dinheiro começou a atrasar. Houve parcelamento. Em 2014, a Gainax, de forma surreal, PEDE EMPRÉSTIMOS A ANNO. Quase um milhão de dólares, sob a alegação de que a Gainax não iria sobreviver sem essa grana. Como Yamaga era o amigo de infância do Anno, ele fez um empréstimo sem taxas abusivas, com o direito de poder ser pago em até dez anos, mas Anno estava ajudando a empresa que ajudou ele, afinal de contas. Só adiantou um ano nos pagamentos dos royalties de Eva em troca. O acordo foi aceito e a Gainax continuou viva.

Anno, inclusive, queria ajudar mais. Ele se disponibilizou a comprar os direitos de Gunbuster, Diebuster e FLCL. A compra quase foi finalizada, mas Yamaga chegou depois pedindo seis vezes o valor combinado. Anno achou estranho. ALGO DE ERRADO NÃO ESTÁ CERTO.

Pouco depois, ele descobriu que a Gainax estava se reestruturando, pedindo mais dinheiro e vendendo suas obras a quem desse mais, cagando pros criadores originais. A Gainax continuou dizendo que permaneceria pagando os royalties de Eva para a Khara, mas como você pode imaginar, as coisas não foram acontecendo desse jeito.

Começaram também a pipocar novos estúdios da Gainax. Veio a Fukushima Gainax, que depois se tornou independente quando a Gainax veio com problemas financeiros (ALGO DE ERRADO CONTINUA NÃO CERTO). Veio a Yonago Gainax depois. GAINAX WEST. Gainax Niigata. E, enquanto isso tudo rolava, o dinheiro dos royalties não pingava na conta da Khara. Anno tentou ir atrás, mas os responsáveis pela Gainax cagaram pra ele e começaram a ignorar seus chamados.

Anno então decidiu tomar ações legais, e em 2017 ganhou um processo contra a Gainax para recuperar o dinheiro que havia emprestado (e pegou até os direitos de Evangelion de volta). Inclusive, o processo só se tornou público porque a Gainax resolveu lutar. Acontece que, fazendo isso, Anno descobriu que a empresa agora era uma mera casca, e que todos os documentos de seus animes eram propriedade agora da Fukushima Gainax (hoje Studio Gaina, que fez… Hulaing Babies?), que, lembrando, era independente.

E TUDO ISSO ACONTECEU EM 2016, NO ANO ANTERIOR.

PUXA VIDA, O QUE SERÁ QUE ACONTECEU?

Image result for detective thinking

Admito que, como dizem as más línguas, tenho uma inteligência abaixo do normal, mas isso me parece muito, muito, muito com o uso de empresas laranjas para esconder documentos e dar aquela lavadinha no dinheiro, protegendo os engravatados de ações legais!

Não que necessariamente seja isso… mas é.

Inclusive o cara que falei que foi preso lá em cima se tornou presidente de animação da Gainax da noite pro dia. Coincidência?

Não, mas acho que, no conceito, não deveríamos estar surpresos com nada disso. É isso que devemos esperar de engravatados sem ligação com obras artísticas com total controle sobre sua comercialização. Quer dizer, Evangelion teve muita merda vendida, e agora fica fácil ver que a ganância e péssima administração estavam por trás disso.

Enfim, essa foi a primeira leva de notícias sobre o caso, e é possível que tenhamos mais no futuro. Inclusive, é possível que essa matéria seja atualizada conforme novas traduções mais corretas venham aparecendo, mas não é como se eu estivesse fazendo muita coisa hoje. Fiquem ligados para qualquer coisa e, até lá:

Sobre Lojinha

Apenas um evangelizador de One Punch-Man, Gintama, Undertale, Community e Cave Story.

Além disso, verifique

Podcast MdM #557: Mangá, Viagens, Estatísticas, Bátima do Pattinson e montagem de móveis

Hoje tem Podcast MdM pra todos os gostos! O MdMangá de casa cheia fala dos …